logo-rafael-rez

Seth Godin explica o que é o Marketing de Permissão

Seth Godin explica o que é o Marketing de Permissão

O papa do marketing digital, Seth Godin, explica o que é o Marketing de Permissão

O americano Seth Godin é um dos papas do marketing digital. Seu livro Marketing de Permissão (Editora Campus) é uma leitura essencial para quem quer entender o impacto da Internet sobre o marketing. O mais recente lançamento de Godin é Unleashing the Ideavirus, ainda não lançado no Brasil, mas já disponível na Internet, de graça. Leia a seguir os principais trechos da entrevista que Godin concedeu à repórter Cristiane Mano, de EXAME.

O senhor diz que o marketing como é feito hoje não funciona como antes. Por que as empresas devem dar ouvido a isso?
Os meios tradicionais estão se tornando mais caros e menos eficientes. Em parte por que, com a Internet, as campanhas
podem ir muito além disso. Em parte por que as pessoas aprenderam a ignorá-lo. Simples: mais anúncios, mais interrupções. O modelo está saturado. Há muita gente tentando fazê-lo funcionar. O consumidor médio vê cerca de 3 000 mensagens de marketing por dia. Ninguém consegue prestar atenção a todas elas. Pouquíssimas pessoas que eu conheço ligam a TV ansiosas para ver um anúncio. Esse tipo de marketing interrompe algo que você queira fazer. Interrompe um programa de TV, a leitura de uma revista. E tudo bem, porque você pega a atenção das pessoas que você não conhece. Mas, uma vez que você tenha a atenção dessas pessoas, se houver uma forma de vender sua imagem para elas sem interrompê-las, você terá resultados muito melhores.

Como o senhor definiria marketing de permissão em poucas palavras?
É a arte de tornar um estranho um amigo, e o amigo, um cliente.
O desafio para as companhias é convencer as pessoas a prestar atenção voluntariamente.

Como se convence o consumidor a fazer isso?
Dê a ele algo de valor. Uma empresa tem de recompensar o cliente por prestar a atenção às mensagens. Um dos recursos mais valiosos para isso são os jogos. Desenvolvemos jogos para a America Oline. Em um deles, o prêmio era de 1 milhão de dólares. Os jogadores tinham de visitar alguns sites e registrar seus e-mails. Essa brincadeira atraiu mais de 350 000 jogadores. Você diz algo sobre seu produto, e o cliente diz algo sobre si próprio. É assim
que se cria um relacionamento de mútuo benefício.

O que acontece com o marketing de massa quando se fala em marketing de permissão?
Será focado em marcas, em estabelecer um primeiro contato. Não tanto para vender.

O senhor acha que as empresas tendem a investir mais e mais na Internet?
Algumas empresas gastam milhões para criar um site extraordinário. O grande mecanismo de marketing, no entanto,
não é a Web, mas sim o e-mail. Mas é preciso ter critério. Algumas empresas confundem marketing por e-mail com spam. Spam é péssimo. Spam não funciona. O spam mina a Web.

A Web é o único lugar em que o conceito de marketing de permissão funciona?
Não. Funciona em qualquer lugar. Mas funciona melhor na Internet. A Web é o melhor instrumento de marketing direto que já existiu.

Fonte: Exame Negócios

SOBRE O AUTOR

Rafael Rez

Autor do livro “Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI”, publicado pela DVS Editora. Possui MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2013. Fundador da consultoria de marketing digital Web Estratégica, já atendeu mais de 1.000 clientes em 20 anos de carreira. Co-fundador da startup GoMarketing.cloud. Fundou seu primeiro negócio em 2002, de onde saiu no final de 2010. Foi sócio de outros negócios desde então, mantendo sempre como atividade principal a direção geral da Web Estratégica. Além de Empreendedor e Consultor, é Professor em diversas instituições: HSM Educação, ILADEC, Cambury, ESAMC,ALFA, ESPM, INSPER. Em 2016 fundou a Nova Escola de Marketing.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *